cead20136

Pesquisar no blog

Carregando...

Pesquisar na net

Custom Search

terça-feira, 18 de junho de 2013

Primeira Lei de Mendel

Professor de Matemática no Colégio Estadual Dinah Gonçalves
E Biologia na rede privada de Salvador-Bahia
Professor Antonio Carlos carneiro Barroso
email accbarroso@hotmail.com
Extraído de http://www.alunosonline.com.br

Primeira Lei de Mendel

Thiago Ribeiro

Antes de escrever as definições da Primeira Lei de Mendel, direi um pouco sobre Gregor Mendel.
Gregor Johann Mendel ( Heizendorf, 20 de Julho de 1822 — Brno, 6 de janeiro de 1884 ) foi um monge agostiniano, botânico e meteorologista austríaco.
Nasceu na região de Troppau, na Silésia, que então pertencia à Áustria, e viria a ser baptizado a 22 de Julho, que muitas vezes se confunde com a sua data de nascimento, vindo de uma família de humildes camponeses. Na sua infância revelou-se muito inteligente; em casa costumava observar e estudar as plantas. Sendo um brilhante estudante a sua família encorajou-o a seguir estudos superiores, e mais tarde aos 21 anos a entrar num mosteiro da Ordem de Santo Agostinho em 1843 (actual mosteiro de Brno, República Checa) pois não tinham dinheiro para suportar o custo dos estudos. Obedecendo ao costume ao tornar-se monge, adoptou um outro nome: "Gregor". Aí Mendel tinha a seu cargo a supervisão dos jardins do mosteiro.
Estudou ainda, durante dois anos, no Instituto de Filosofia de Olmütz (hoje Olomouc, República Checa) e na Universidade de Viena (1851-1853). Desde 1843 a 1854 tornou-se professor de ciências naturais na Escola Superior de Brno, dedicando-se ao estudo do cruzamento de muitas espécies: feijões, chicória, bocas-de-dragão, plantas frutíferas, abelhas, camundongos e principalmente ervilhas cultivadas na horta do mosteiro onde vivia e analisando os resultados matematicamente, durante cerca de sete anos. Gregor Mendel, "o pai da genética", como é conhecido, foi inspirado tanto pelos professores como pelos colegas do mosteiro que o pressionaram a estudar a variação do aspecto das plantas. Propôs que a existência de características (tais como a côr) das flores é devido à existência de um par de unidades elementares de hereditariedade, agora conhecidas como genes.
Mendel então foi considerado o pai da genética, após cruzamentos e experiências por ele feitas.
No texto acima, podemos compreender um pouco sobre a tragetória e a biografia de Gregor Mendel, mas o objetivo deste tópico aqui é o anunciado da Primeira Lei de Mendel, que foi feita da seguinte maneira:
"Cada caráter é condicionado por um par de genes alelos, que se segregam entre si, com a mesma probabilidade, na formação dos gametas, indo apenas um gene para cada gameta."
Os testes que Mendel utilizou foi das características das ervilhas, em seu primeiro experimento ele fez o cruzamento de ervilhas com diferentes características, mas em sua primeira lei só observou uma característica por vez.
Em um exercício colhido do site Cynara.com.br, possui o seguinte problema:
1) Em urtigas o caráter denteado das folhas domina o caráter liso. Numa experiência de polinização cruzada, foi obtido o seguinte resultado: 89 denteadas e 29 lisas. A provável fórmula genética dos cruzantes é:
a) Dd x dd
b) DD x dd
c) Dd x Dd
d) DD x Dd
e) DD x DD
Para resolvermos este problema, consideramos que o total é de 118 urtigas, considerando que o caráter denteado das folhas domina o caráter liso e sendo assim que os resultados mostram que tiveram 29 urtigas com folhas lisas, então podemos descartar rapidamente a letra e, já que nesta letra é impossível termos o caso de urtigas com folhas lisas.
Agora o restante das letras são testadas com base em tentativas, vamos por partes:
A letra a, diz que foi cruzada uma urtiga de folha denteada heterozigota com uma urtiga de folha lisa homozigota, então teríamos:
Dd x d e como resultado: Dd, dd 50% para cada característica, portanto esta letra está incorreta.
A letra b, diz que foi cruzada uma urtiga de folha denteada homozigota e uma urtiga de folha lisa homozigota, então teríamos:
D x d e como o resultado do cruzamento é apenas Dd, portanto a letra está incorreta, já que todas urtigas teriam folhas denteadas.
A letra c, diz que foi cruzada ambas urtigas de folhas denteadas heterozigotas, então teríamos:
Dd x Dd e como resultado do cruzamento teríamos:
DD, Dd, Dd, dd, fazendo as contas 75% das urtigas teriam folhas denteadas e 25% folhas lisas.
Fazendo as contas, 118 urtigas vezes 75% -- teríamos 88,5 urtigas de folha denteada, considerando que não existe meia urtiga com folha denteada e lisa, poderíamos arredondar para 89 urtigas de folhas denteadas e 29 de folhas lisas.
E este é o fim do problema.
Porque ao invés de escrever toda teoria, decidi hoje resolver um simples e pequeno exercício?
Muitas vezes ficamos muito presos as teorias e essa não é apenas a idéia da biologia, porque a parte prática da matéria é sim, muito importante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

co

assine o feed

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Widget Códigos Blog modificado por Dicas Blogger