cead20136

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Verbos pronominais

Colégio Estadual Dinah Gonçalves
email accbarroso@hotmail.com


Ao nos atermos aos estudos gramaticais, constatamos que estes são dotados de uma notória complexidade. Contudo, à medida que vamos estabelecendo familiaridade com os fatos linguísticos e suas respectivas particularidades, percebemos que tudo é uma questão de nos adequarmos às tantas regras existentes que, embora “aparentemente” confusas, tornam-se facilmente compreensíveis mediante nosso conhecimento, manifestado de forma gradativa.
Desta forma, no que tange ao estudo dos verbos, a situação não é diferente, mesmo porque tal classe gramatical se constitui de inúmeras peculiaridades. E por elas mencionar, o estudo a que se deve o artigo em questão faz referência aos chamados verbos pronominais, cuja característica principal reside no fato de trazerem para junto de si o pronome oblíquo, uma vez que representam atitudes próprias do sujeito.
Representando esta classe temos o caso dos verbos “queixar-se, arrepender-se, zangar-se, dedicar-se” – chamados de essencialmente pronominais. Como também há aqueles considerados acidentalmente pronominais, representados pelos verbos “enganar-se, mudar-se, pentear-se”.
Partindo-se desse pressuposto, convém nos atermos à forma pela qual estes são conjugados, levando-se em consideração os modos indicativo, subjuntivo e imperativo, seguidos de seus respectivos tempos. Para tanto, elegeremos como exemplo o verbo queixar-se, assim evidenciado:
Modo indicativo
Modo subjuntivo
Modo imperativo

Por Vânia Duarte
Graduada em Letras
Equipe Brasil Escola

Nenhum comentário:

Postar um comentário